A Gestão dos Treinos na Corrida

A Gestão dos Treinos na Corrida

 

O atleta amador, que se iniciou na corrida e que procura crescer paulatinamente na modalidade, começa numa fase inicial por somar corridas, quilómetros, horas de treino até que atinge um patamar de rendimento relativamente regular e homogéneo. Isto acontece devido à rotina que se instala na dinâmica de treinos, motivo pelo qual os estímulos resultantes desses esforços deixam de ser suficientemente intensos para produzirem alterações significativas na performance desportiva.

Rotina

Acontece que, na maior parte dos casos os praticantes acomodam-se a esse patamar de desempenho desportivo, e isto pode acontecer por não ambicionar minimamente qualquer melhoria, ou por assumir esse ritmo como o seu “teto” de evolução. Não sendo propriamente um problema, apenas estou a realçar que, por a dinâmica dos treinos semana a semana ser mais ou menos idêntica, a estabilidade física acontece, não ocorrendo progressão.

shutterstock_77336371

Esta estagnação é também por vezes devida ao acomodar a este processo, fruto um dia a dia mais preenchido e com pouco tempo para pensar o treino ou perspectivar desafios diferentes, a cada corrida realizada. Apesar de parecer uma constatação um pouco “depreciativa” do processo de treino, o objectivo é chamar a atenção de que, é sempre possível e viável fazer um pouco mais. E o ir um pouco mais além, muito mais que uma procura de evolução física, contribuirá para um melhor estímulo/carga de treino, com os devidos benefícios que isso acarretará para a saúde e bem estar. Ou seja, o treino regular é importante e suficiente, mas se acrescentarmos algo diferente a esse desafio, poderemos retirar benefícios inequívocos.

Séries, Rampas e técnica de corrida

São treinos mais exigentes e desgastantes, que requerem um determinado tipo de percurso e disponibilidade física, contudo, são 3 bons exemplos do que poderemos fazer para acrescentar qualidade à corrida.

Podendo estarmos mais ou menos acomodados a uma determinada rotina, e até custar a tomar a atitude para variar, acontece normalmente que quem o faz, começa inevitavelmente a verificar melhorias significativas nas suas capacidades, acompanhada ao mesmo tempo por uma maior disponibilidade física geral.

young fitness woman runner  running at forest trail

As séries, sendo um processo que requer a manutenção de uma determinada intensidade ao longo de uma distância ou tempo pré-definido, são as tarefas de treino que nos ajudam a melhorar o ritmo de corrida e a melhorar o nosso pace médio de prova. Se pretendermos melhorar a nossa performance numa determinada distância, um dos passos mais importantes para alcançar tal objectivo é a realização de séries com regularidade.

Contudo, deparamo-nos muitas vezes com falta de força e com uma quebra demasiado acentuada no ritmo de corrida, quando enfrentamos um percurso mais acidentado, com subidas. Neste caso, o treino em rampas é o meio que nos ajuda principalmente a optimizar os nossos índices de força para que, à medida que evoluímos conseguirmos ultrapassar as subidas num menor período de tempo e com menor dificuldade.

Sendo por ventura o tipo de treino mais descurado no meio amador da modalidade, a técnica de corrida é um processo moroso e exigente de coordenação e execução técnica que permite melhorar o gesto técnico ao mesmo tempo que ajuda o atleta a tornar-se mais económico, despendendo por isso menos energia ao longo das milhares de passadas entre treinos e provas. A experiencia de realização de alguns exercícios de técnica de corrida inseridos numa parte de um treino, revela-se normalmente a parte de maior dificuldade do mesmo e por vezes a mais extenuante em termos de exigência física. Experimentem!

Nota final

Mais do que alertar para uma hipotética necessidade de executar um treino um pouco mais estruturado e diversificado, mesmo para atletas amadores, o objectivo destas linhas foi realçar alguns grandes benefícios que podemos obter através do recurso a diferentes estímulos, quer para a nossa saúde (pelas melhorias cardiovasculares induzidas, ou pela melhoria da coordenação, força, velocidade e flexibilidade por exemplo), quer pela introdução de um elemento diferente a cada semana, de forma a combater a monotonia de todo o processo e evitar assim qualquer tipo de desmotivação no mesmo.

 

Bons treinos!

Tiago Aragão

facebook: https://www.facebook.com/tiago.aragao

web: http://www.tiagoaragao.com

4 Comments
  • António S. Pereira
    Posted at 15:29h, 28 Dezembro Responder

    Bom artigo!

  • Joaquim José Martins
    Posted at 22:08h, 28 Dezembro Responder

    Artigo simples de entender para os novos atletas, atletas que aderiram a este desporto por moda e que poucos conhecimentos técnicos têm e que não procuram ajuda sendo autodidatas num assunto que desconhecem .

Post A Comment